terça-feira, 3 de janeiro de 2017

[SÉRIES] 3% é mais do mesmo?


3% é uma série distópica brasileira. A sociedade é dividida em dois mundos diferentes. Um lado está completamente destruído e praticamente sem nenhuma infraestrutura para suprir as necessidades básicas dos seres-humanos. Porém, há uma única esperança. Aos 20 anos, os habitantes tem a chance de passar pelo Processo e, caso vençam, serão enviados para o Mar Alto, um local completamente diferente e onde as condições de vida são as melhores possíveis. O Processo, entretanto, não é fácil, apenas 3% dos participantes conseguem vencê-lo e muitos até morrem no meio. Do lado de fora, existe a Causa, uma organização que pretende acabar com as injustiças propostas pelo governo. Consideram o tal jogo uma grande injustiça. 
A série segue o mesmo modelo de todas as distopias conhecidas. Em momento algum, houve uma inovação. É possível compará-la com Divergente, Jogos vorazes e todas essas distopias que existem por aí. Mas isso não me fez gostar menos. Acho que estou acostumada com esse modelo e gosto bastante dele, então continuo lendo e assistindo a distopias. A questão é que todos estavam falando de 3% como algo totalmente novo e, apesar de bom, é mais do mesmo. Dizer que é diferente é uma propaganda enganosa.
É fora do comum, entretanto, para as produções brasileiras. Isso é um ponto positivo. A produção é muito boa e o enredo prende. Existem apenas alguns poucos errinhos, mas passaram despercebidos pra mim. A única coisa que pesou foi a atuação. Alguns atores são MUITO ruins. Eu estava totalmente presa na série e do nada vinha um personagem X falar alguma coisa e acabava com todo o clima, me tirava do ambiente. Os principais, em geral, são bons atores. Mas alguns ali precisavam de umas aulas básicas de interpretação.
Em suma, essa foi uma série que eu gostei bastante de assistir mas não é tão UAU como todos estão falando. Achei Ok. Legal, prende o espectador e até tem uns plot-twists bem legais, mas nada extraordinário.

Nenhum comentário:

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo