quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Conto novo, de novo!

Olá, leitores infinitos!
Estava concorrendo para participar de uma antologia sobre psicopatas, mas não ganhei. Talvez, no fim das contas, eu tenha fugido do tema. Ou não. Na verdade, não sei do que esse conto se trata. E também não sei se é uma história linear. A verdade é que o texto foi escrito praticamente sozinho e quando eu olhei e li tudo de novo pensei: puta que pariu.
Realmente, essas três palavras descrever tudo o que eu pensei. Perdoem o palavrão, mas foi necessário. Acho que foi o melhor conto que eu escrevi. Não em relação a enredo e essas coisas, mas o modo como foi escrito. É um dos mais chocantes também, e de te deixar pensando. Porque não há uma conclusão.
Eis o conto, para que vocês tirem suas próprias respostas e façam suas próprias reflexões.
(Família, por favor, não me coloquem em um hospital psiquiátrico. Eu sei que vocês não estão acostumados comigo escrevendo histórias assim.)

 Roubo - Beatriz Nogueira
Clique na imagem para ler o conto: Roubo - Beatriz Nogueira.

Nenhum comentário:

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo