domingo, 4 de setembro de 2016

Resenha: O Último adeus - Cynthia Hand


Editora: Darkside
Ano: 2016
ISBN: 9788594540027
Páginas: 352
Nota: 5/5

O outro lado do suicídio.

Lex acabou de perder o irmão, Tyler. Mas não é uma perda comum. Existem dois lados do suicídio. O lado de quem se suicida e o lado de quem fica. Lex ficou. A garota agora precisa lidar com o fato de que Tyler parecia estar bem, mas na verdade tinha como única saída o outro lado da vida. O lado temido pela maioria. Seu irmão cometeu suicídio na garagem de sua casa atirando em si. O terapeuta de Lex faz com que ela escreva uma espécie de diário contando, primeiramente, suas duas lembranças mais fatais com Ty. A primeira e a última. 

"As pessoas que amamos nunca se vão realmente."

O Último adeus é uma história sobre superação e aprendizado. Sobre aprender a lidar com a perda e perceber que, as vezes, não há nada a ser feito. As vezes, a morte é mesmo a única solução. Lex não precisa lidar apenas com a morte do irmão, mas com a ausência do pai e o desespero e angústia da mãe, que não consegue, de jeito nenhum, seguir com a sua vida.

"Desculpe, mãe, mas eu estava muito vazio."

Eu poderia dissertar eternamente sobre esse livro, mas simplesmente não consigo. Talvez essa seja a resenha mais curta que escreverei no blog. Já li muitos livros com essa temática, mas esse realmente me surpreendeu.

"Pelo menos, estou determinada a ser direta. Meu irmão se matou. Na nossa garagem. Com um rifle de caça. Isso faz com que pareça o jogo mais cruel do mundo, mas é isso."

Recentemente, perdi a minha avó. Não sou uma pessoa que coloca pra fora o que sente. Chorei poucas vezes. Era algo interno. Continua sendo algo interno. Mas não costumo pensar muito sobre isso. Quando comecei a ler esse livro, parecia que a personagem era eu. Salvo por algumas características, era como se fossemos as mesmas pessoas e estivéssemos vivendo a mesma coisa. Eu senti - e sinto - tudo o que está escrito ali. Toda a impotência de não saber o que fazer no enterro, do que dizer quando ela encontra a mãe chorando. Todas as cartas, todos os sentimentos e aquela coisa chamada pesar. Eu realmente não sei explicar, mas depois que terminei de ler precisei digerir tudo aquilo.
Sabe, não costumo chorar com livros, mas O Último adeus me arrancou duas lágrimas. Duas fucking lágrimas e um muito obrigada, Cynthia Hand.

Nenhum comentário:

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo