domingo, 27 de março de 2016

[CURTA] Immediately afterlife


O curta Immediately afterlife é, acima de tudo, uma crítica construtiva sobre a religião. Não confunda religião com fé. O curta faz uma crítica direta a aqueles que transmitem a palavra divina e, de certa forma, se aproveitam dela.
No início, vemos uma série de lençóis brancos cobrindo várias pessoas, simulando uma morte coletiva. Porém, Marissa e Bennett foram as únicas que sobreviveram ao suicídio em massa da seita religiosa de que faziam parte. A partir daí, as duas fazem questionamentos a outra e a si. Questionam a religião, o culto, a seita, o pregador e o verdadeiro significado da vida que continuará. Os diálogos são muito inteligentes e o tempo todo existe uma tensão perceptível entre as duas. 
Ficou evidente para mim a crítica que se faz ao líder daquela ceita. Em determinado momento, fica implícito que esse líder já se envolveu sexualmente com suas seguidoras, inclusive Bennett.
É importante observar, também, como essa seita fez com que as duas se cegassem. Maior exemplo disso é quando Bennett começa a tomar o resto dos sacramentos acreditando que, assim, tomará o rumo correto. Nesse momento, Marissa - que diz ter acordado da cegueira - a questiona, contando que o líquido branco na verdade é um refrigerante de cor preta. 
O final é bastante aberto para interpretações, penso que ele demonstrou o início de um novo ciclo vicioso. Apesar dos questionamentos, abrir a porta para os dois homens, foi como fechar os olhos novamente. Parecia que por mais que desejassem deixar a seita, havia uma força maior do que todas aquelas dúvidas que as manteriam lá. 
E é por isso que a grande crítica do curta não é acreditar em uma entidade divina, mas unir-se a uma forma extrema de religião, acreditar nas palavras de alguém que pode estar te manipulando ao invés de te levar para a salvação. É similar ao posicionamento do filme A Bruxa, nesse sentido.
Mas é claro, essa foi a minha análise, creio que muitos possam ter visões diferentes sobre esse curta-metragem, afinal, uma arte como essa é feita para ser não só apreciada como interpretada a fundo. Se você assistiu, compartilhe suas opinião, vou adorar saber!
PS: Nem preciso citar a atuação maravilhosa das duas atrizes, né?! A Shay me surpreendeu e a Troian deixou ainda mais claro que ela merece um Oscar. POR QUE DIABOS NINGUÉM DEU UM OSCAR PRA ESSA MULHER?! Desculpa, me exaltei. Mas ela merece!

2 comentários:

  1. Interessante esse curta. Foi bem feito e a atuação das meninas ficou ótima! Eu nunca tinha visto elas atuando em outra coisa que não fosse PLL.
    Gostei do seu texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Gostei bastante da fotografia também e a temática tratada. A atuação foi incrível mesmo, né?! Acho que sempre é bom vê-las fora da "zona de conforto"
      Beijos e obrigada!

      Excluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo