segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

De volta a realidade


Nunca fui de ter muitos amigos, mas as coisas mudaram um pouco nesses últimos dias. Sempre passava as férias em casa, assistindo a séries, lendo e comendo pipoca. Mas, dessa vez, quase não parei em casa. Algumas coisas simplesmente tem que acontecer, percebi isso alguns dias antes de acabar. Pois é, acabou. Não as férias, mas o sonho. Não os amigos, mas alguns deles estão distantes agora. E com toda essa coisa de faculdade e nova vida, devo voltar para a realidade a partir de agora. Voltar para a realidade que vocês conseguiram me tirar. E vocês sabem muito bem quem são.
Sempre odiei despedidas, mas acho que prefiro dar um último beijo e abraço sabendo que são os últimos. A questão é que essa, excepcionalmente, doeu bastante.
As vezes, na estrada da vida, somos surpreendidos por pessoas novas que acabam convivendo conosco por um bom tempo. Mas, as vezes, é só um mês. Um mês que você queria que durasse a vida toda. Elas estarão lá sempre, isso é fato. Mas a distância com certeza dificulta as coisas. Amizades que surgem com um laço mais forte até do que algumas que você nutre há anos. Intenso.
Em especial, alguém pode pegar aquele amor que estava guardado no fundo do báu. Aquela paixão meio doida que você tinha jurado não sentir. E então, sem querer, naquele dia enquanto olhava as árvores ao fundo, aquele dia em que você fazia cafuné em mim, sem querer querendo, eu me apaixonei. E agora, você foi embora.
E aí, naquele outro dia, enquanto nós três tínhamos nossa conversa de garotas sobre os namorados de vocês e aquele menino do cafuné, nós duas ficamos muito amigas. Uma amizade que promete até troca de cartas - coisa que sempre quisemos fazer, mas nunca ninguém concordava, ou desistia no meio. E aí, você foi embora.
Nós seis criamos um laço grande. Ainda maior. Não estamos dando adeus a ele. Uma metade continua aqui, a outra está aí. Mas, infelizmente, tivemos que dizer adeus ao nosso mês. Tivemos que dizer adeus para a nossa mágica. A amizade continua, mas quem sabe quando nos reuniremos todos de novo para dar risada e fazer baile no telhado?! 
Obrigada não somente a eles, mas a todos que fizeram essas férias serem inesquecíveis. O que seria de mim sem minhas duas meninas e a valsa cantada com uma delas?! O que seria de mim sem paródia de jogos vorazes e encontro de booktubers com aqueles que gostam de ler tanto quanto eu?! E os jogos e conversas engraçadas no whatsapp com aqueles que não pude encontrar.
A vocês, o meu muito obrigada. Obrigada pela formatura e nossos dois dias juntas. Obrigada pelo dia incrível e a piada inteira localizada ao lado do orquidário. E obrigada, muito obrigada, pelo nosso mês.

Nenhum comentário:

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo