segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Resenha: Zac&Mia - A. J. Betts

Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
ISBN: 9788581637716
Páginas: 288
Nota: 3/5

Um pequeno grande universo.

Ainda não sei muito bem o que dizer sobre esse livro. Acho que é uma história muito dependente do momento em que se lê.
Zac é um garoto que tem leucemia e está se tratando no hospital, após ter conseguido um transplante de medula é apenas uma questão de quando ele poderá ir pra casa. A mãe sempre está a seu lado, jogando todos os tipos de joguinhos e tentando animar o filho, mas ela parece não perceber que ele precisa de um tempo sozinho. É no meio da contagem regressiva que Mia aparece, ela também tem câncer, mas segundo as estimativas do garoto, é a mais sortuda da ala.

"É engraçado como o cérebro faz coisas assim. Seu mundo todo
está sendo chacoalhado e jogado, e o melhor que você consegue fazer
é focar-se em alguma coisa pequena e inesperada.''

Mia é aquela garota popular fútil que acaba descobrindo um mundo que vale muito mais do que um esmalte e é muito mais feio que as pontas duplas do cabelo. A garota briga com a mãe constantemente, escuta Lady Gaga no volume máximo e parece não ligar pra nada. Ela não consegue aceitar que as coisas não são um filme de colegial perfeito.
Em uma das noites, Zac acaba batendo na parede do quarto - é a única forma de comunicar-se, já que, devido ao transplante, ele tem que ficar isolado - para pedir que ela baixe a música. O que ele não sabia é que ela responderia e dali nasceria uma bela amizade e um bromance.

“ Há tanta coisa que ela ainda não compreende: que fica melhor; que não é culpa dos médicos. “Não lute”, eu quero dizer. “Não puxe a alavanca da Saída de Emergência. Tome as pílulas e aproveite o passeio como der. “Eu queria poder dizer isso a ela. Eu queria poder dizer a ela quanta sorte tem. ”

Bem previsível, né? Bom, exatamente isso é o fator que mais me irrita nesse livro. Sabia o que aconteceria do início ao fim e isso me ajudou a ficar distanciada na narrativa. O que eu gostei bastante, apesar do clichê, é o fato de Mia ter percebido que o mundo possui várias faces e a que estava em sua mente era ilusória. Ela sofre bastante com tudo o que acontece e uma das cenas que mais machuca é com seu ex-namorado.
Em meio a toda essa coisa de câncer, Mia decide fugir e acaba indo atrás de Zac, é quando eles se encontram pessoalmente pela primeira vez. Esperava mais desse encontro, mas amei que a autora não adocicou tanto, sabe?

"Pego a mão dele de novo e a enfio por baixo do meu jeans. Quero que ele me queira. Minha outra mão abre o zíper dele. Apesar de ele me afastar, eu o toco do jeito que ele gosta."

É um livro bom, muito bom, na verdade. Fiz a leitura muito rapidamente, a fluidez e escolha de palavras é algo que A. J. Betts com certeza domina. Porém, não gostei tanto porque acabei não conseguindo me conectar a nenhum personagem, sabe? Parecia que estava simplesmente lendo superficialmente e odeio quando isso acontece. Mas acho que a culpa não foi da história em si, pois os personagens são muito bem trabalhados. Só não consegui me sentir ali, sabe? Não consegui acreditar no que era proposto.

"O tempo prega peças. Pode brincar com você. Quando menos se espera, o tempo pode dar uma volta em si mesmo, como um imenso elástico. O tempo pode vir dar tapinhas no seu ombro. Se quiser, ele pode pegar você e o levar de volta para o Quarto 1, com suas agulhas e alvejante e náusea e Mia."

Mas como disse ali em cima, é um livro que depende bastante do humor do dia - alias, todos os livros dependem, né? - e eu não estava muito na vibe de romance. Ah, outro fator muito importante é que há um romance, mas não há um romance, ao mesmo tempo. Gosto da maneira como esse nó foi construído, a autora mostrou que não é preciso beijos e todas essas coisas de casal pra ser sensível e bonito.
Por fim, digo que este é um livro que vale a pena ser lido sim, mas se você não está numa fase mel da vida nem arrisque, espere um pouquinho e leia mais tarde. Agora, se você gostou da história e ama coisas assim, vai fundo e embarque no pequeno grande universo de Zac e Mia.

12 comentários:

  1. Oi, Bia! Como vai?
    Adooooooooooooooro livros sobre câncer. Apesar de todos serem iguais, todos são muuuuuuuuito diferentes. A partícula câncer muitas vezes é só um mesmo detalhe, e mesmo se não for... Entende? Enfim. Também adoro romances e romances não românticos e todo tipo de amorzinho do mundo. Pela sua resenha, fiquei morrendo de vontade de ler! A forma como tudo acontece é bem diferente do que eu já vi e li - essa coisa de bater na parede e tal. Muito chato quando a gente lê um livro sem estar no clima, né? Mas acontece. Fiquei muito contente por saber que a leitura flui ♥ Espero poder ler esse livro em breve!
    Beijinhos,
    Karol.
    www.heykarol.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Karol, tudo bem e você?
      O que você disse é verdade, as vezes o câncer é só uma base e todos eles tem algo diferente, né? Mas não sei, acho que não estava no clima..
      Depois me conta o que achou!
      Beijos!!

      Excluir
  2. Oi flor :) Adorei a resenha!!! Não sou muito chegada a livros com personagens morrendo de câncer -e parece que esse mercado está crescendo, não é mesmo?-, também odeio quando não consigo me conectar totalmente aos personagens, tenho a sensação de que li por obrigação. Achei a capa muito bonita e diferente, foi o que mais me atraiu. Vou dar uma chance a ele :3
    Beijão!!!

    www.talvezgeek.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabi!
      Fico feliz que tenha gostado da resenha! Está crescendo e muito, mas também não sou tão chegada assim. Dê uma chance sim e depois me conta, ta?
      Beijos!!

      Excluir
  3. Oi Beatriz, eu estou com esse livro para ler aqui na minha estante mas não tive tempo ainda infelizmente, amei a sua resenha e confesso que estou bem animada com a leitura, já que gosto muito desse tema com personagens com alguma doença e que tenha um romance no meio :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem?
      Acho que se você gosta do tema irá adorar o livro, pois é um clichê diferente, deu pra entender?!
      Beijos!

      Excluir
    2. Olá, tudo bem?
      Acho que se você gosta do tema irá adorar o livro, pois é um clichê diferente, deu pra entender?!
      Beijos!

      Excluir
    3. Oooi!
      Acho que você vai gostar então! Depois me conta, ta bom? Quero saber!
      Beijos!!

      Excluir
  4. Ah, eu acho que comigo vai funcionar, estou sempre na vibe do romance kkkk
    Realmente a premissa é muito clichê e embora eu ame um bom clichê fiquei incomodada com o fato de você não ter se apegado aos personagens, mas enfim eu quero ler o livro sim.
    Amei sua resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii, que bom que gostou da resenha, fico feliz!!
      Então, acho que é realmente uma questão de gosto e humor, nunca fui muito de romance, então talvez tenha sido por isso que não me agradou tanto, mas se você gosta com certeza vai adorar!!
      Beijos!

      Excluir
  5. Olha eu sinto que talvez eu venha gostar desse livro.
    Se eu não me engano pela minha agenda vou começar a ler ele hoje mesmo.
    Mas espero que a narrativa seja bastante fluida e uma estória muito gostosa.
    Eu adoro romance e acho que vai dar certo pra mim, mas vamos ver né?
    Acho que depende do momento mesmo que a pessoa lê certos livros.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/09/resenha-quando-o-amor-e-o-destino-se.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo bem?
      Sim, a narrativa flui bastante, é bem dinâmico e divertido. Espero que goste :D
      Beijos!!

      Excluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo