sábado, 26 de setembro de 2015

Resenha: 172 horas na lua - Neal Shuterman

Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
ISBN: 9788581637099
Páginas: 288
Nota: 4/5

O que  faria se tudo começasse a dar errado e você estivesse na lua?! There is no way out.

172 horas na lua me prendeu do início ao fim e em meio a previsibilidade, usou de um artifício não muito usado por outros autores e me surpreendeu ao final. Posso dizer que foi o único livro do gênero que me fez ficar com um pouco de medo.

"A última coisa que o sr. Himmelfarb conseguira pensar antes de adentrar o vale profundo do esquecimento era em como sentia falta dos filhos e como estava feliz por saber que em breve nem perceberia que eles não o visitavam mais. E que ele os amava mais que qualquer coisa no mundo."

Depois de anos sem habitar a lua e nem falar sobre ela, a NASA decide criar uma missão lunar para procurar certos elementos no espaço e habitar a DARLAH 2 - um módulo construído pelos últimos astronautas que se aventuraram por lá.

"A visão havia sido indescritível. Ela não só fora capaz de ver a forma da Terra com clareza total, como se fosse uma enorme bola de praia, como também vira países inteiros - sim, quase continentes inteiros. A Itália parecia mesmo uma bota, e Caitlin mostrou a eles incêndios florestais em Portugal. A fumaça se espalhava por sobre o terreno em linhas brancas. Era estranho pensar que mais de sete bilhões de pessoas viviam na Terra e ainda assim era impossível ver os edifícios. Nenhuma das grandes cidades era visível. O mundo todo parecia deserto."

A equipe então lança uma campanha. Três jovens poderão ir a lua e participar dessa missão. Três entre 14 e 20/18 anos. É tudo o que sabemos.

"Agora estavam olhando para ele. Todos eles. Trinta e dois olhos o fitavam enquanto cuidadosamente baixava a colher sobre a mesa, afastava a cadeira, ficava de pé e, em voz baixa, dizia:
- Ninguém vai sobreviver."

O autor logo nos apresenta Mia, Midori e Antoine, os três escolhidos. Posso dizer que gostei bastante dessa parte, embora não ache que alguns de seus motivos para querer ir ou não a lua fossem muito plausíveis. Aliás, a explicação sobre a missão e o motivo de levar os três adolescentes também não é muito explicada. Esse é o maior ponto negativo do livro, a falta de explicações que tragam sentido para a narrativa. Inclusive temos um romance que brotou da terra. Acho que devido a isso, não consegui ter algum personagem preferido. Me encontrei na narrativa sim e torci para cada um deles, mas não foi aquele apego.
Depois que todos chegam na lua, fenômenos estranhos começam a acontecer e é aí que a narrativa fica extremamente interessante e é impossível parar. Fiquei me mexendo na cadeira com determinadas cenas e tentando imaginar o final. O que acontece é bastante previsível. Digo, é claro que as coisas iriam falhar. Mas o fim de tudo conseguiu me surpreender e naquele momento final tudo o que eu queria era sair pesquisando por aí do que se tratava aquela coisa.

"A morfina começou a funcionar rapidamente. Um calor pesado espalhou-se pelo corpo e a envolveu em um cobertor macio e grosso de suave e descuidada indiferença."

O livro, apesar do ponto negativo citado acima, é maravilhoso. É diferente de tudo o que já li e conseguiu me deixar surpresa. A narrativa é bastante dinâmica, rápida e objetiva, sem enrolações - o que é bom e ruim ao mesmo tempo.

"(...) Está além do bem e do mal. Apenas existe. E não parece servir a nenhum propósito além de pura destruição."

Por fim, posso dizer que recomendo o livro para todos vocês que estão procurando por algo diferente para ler.
PS: Quanto a nota, confesso que fiquei um tanto quanto intrigada. Pensei em dar cinco estrelas, mas acho que alguns fatores deveriam ter sido melhor explicados pelo autor. É um livro incrível. porém faltou isso. Então resolvi dar quatro estrelas.

2 comentários:

  1. Olá,
    Ah, é ruim quando ficamos esperando por explicações e elas não chegam. Nossa, fiquei curiosa para saber sobre o que você quis sair pesquisando, hahaha. Gostei muito da resenha e me deu vontade de ler o livro.
    Beijos - Blog Historiar


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii!
      Mas sabe que eu acho que esse livro não tinha que ter explicado muuuito mais?! Acho que pecou na questão do motivo de ir para a lua, mas fora isso tudo foi muito bem colocado! Leia o livro sim, é bem diferente!
      Beijos!!

      Excluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo