sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Resenha: Eu, você e a garota que vai morrer

 Editora: Rocco
Ano: 2015
ISBN: 9788568432181
Páginas: 2015
Nota: 4/5
Algumas grandes amizades surgem em momentos inesperados. 

Eu, você e a garota que vai morrer é um livro que me deixou bastante feliz quando terminei a leitura. Arrisquei dizer que estava na lista de favoritos, mas agora, um tempo depois, estou vendo com mais racionalidade e menos emoção (essa frase ficou bem.. haha) e posso dizer o que realmente achei do livro.

"Resumindo: eu avancei até o quarto de Rachel como um zumbi, fiz ela surtar, depois ia dar um soquinho nela. É impossível ser menos sutil que Greg S. Gaines."

Greg Gaines é quem nos conta toda a história e "escreve" o livro. De uma maneira super descontraída, somos apresentados a história. Greg tinha como principal objetivo do ensino médio não se encaixar totalmente em nenhum grupo, mas fazer parte de todos. Além disso, ele nos conta de suas experiências amorosas desastrosas e tem apenas um único amigo permanente, digamos assim, Earl - com quem faz vários filmes amadores. Acontece que uma de suas ex-namoradas, Rachel, está com câncer. Então Greg é praticamente forçado a tornar-se amigo dela, ligar para ela, visitá-la e tudo mais. E não, eles não se apaixonam no final, não tem romance, não tem mel. Então se você está procurando esse tipo de livro, Eu, você e a garota que vai morrer não é pra você.

"Se isso fosse uma história sentimental e romântica, neste momento um "SENTIMENTO NOVO E ESTRANHO" tomaria conta de Greg - uma sensação diferente por ser compreendido, de um jeito simples, como ele praticamente nunca é compreendido. Então, Greg e Rachel transariam como cães no cio."

O principal fator positivo desse livro é o diálogo que se instala entre o "autor", Greg, e o leitor. Sentia como se o protagonista estivesse na minha frente, olhando em meus olhos e contando tudo. A maneira como ele vai e volta no tempo, faz marcações, deixam a leitura bem dinâmica e leve. Só fiquei incomodada porque toda hora ele se auto-deprecia, diz que o livro é ruim, duvida que nós leremos até o final. Já entendi que você tem baixa auto-estima, Greg.


O livro é cheio de piadas e um protagonista super atrapalhado que não sabe direito o que dizer em situações como a que se encontra - me identifiquei bastante nessa parte. Algumas coisas são bem idiotas, piadas sem graça, mas outras me fizeram rir muuuito e posso dizer que fazia tempo que um livro não me fazia rir assim.

"Posso dizer uma coisa? Era exaustivo continuar falando sem parar. E talvez eu devesse ter simplesmente relaxado. Mas era como se eu tivesse que fazê-la rir, caso contrário minha visita seria um fracasso. Então, feito um bravo aventureiro dos mares, embarquei em outro tema."

Rachel me irritou bastante no início, porque ela ria alto de absolutamente qualquer coisa. Eu, que rio de quase tudo, tenho altas crises de riso sem motivo, não engoli essa personalidade dela. Mas depois melhora. Earl não tem muito destaque, mas gostei bastante de sua personalidade e queria que Jesse Andrews tivesse explorado mais o aspecto da família dele.

"Eu ficava sentado ali e tinha aquela sensação estranha de algo batendo que você tem quando a frequência cardíaca aumentou demais. Mas eu sabia que me sentiria pior ainda se não a visitasse."

O final do livro é um pouco mais rômantico. É muito bonito ver a maneira como os personagens falam sobre a morte de Rachel. (Sim, ela morre. Não, não é spoiler, apenas leiam o título) Como tentam homenageá-la de alguma forma e acabam descobrindo que não é necessário muita coisa pra deixar alguém feliz. O que eu mais gostei é que por mais que Greg tenha sido forçado a conversar com Rachel, no fim das contas ele não conseguia sair do lugar se não arrancasse um sorriso dela.

"(...) Simplesmente como se ela nunca tivesse estado por aqui, dizendo coisas e rindo para as pessoas, com palavras favoritas que gostasse de usar e jeitos de torcer os dedos quando ficava nervosa e lembranças específicas que lampejavam em sua mente quando ela comia certo prato ou sentia determinado cheiro."

Eu, você e a garota que vai morrer não vai te arrancar suspiros, mas boas risadas. É um livro que fala principalmente sobre amizade. Recomendo a leitura para todos. Afinal, um pouco de amizade nunca matou ninguém.

3 comentários:

  1. Olá Beatriz,
    Gostei bastante da sua resenha e me fez ver o livro com outros olhos.
    Não gostei do livro, mas sua resenha me fez ver a história sobre outra perspectiva.
    Pretendo reler para ver se a minha opinião se mantém a mesma.
    Parabéns pela resenha, adorei.
    Beijos
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Havia lido outra resenha desse livro e confesso que perdi a vontade de lê-lo, na verdade, gostei da forma com que falou dele, mas como não era aqueeeele livro que eu queria ler, continuei sem vontade de dar chance a leitura. Ótima resenha, muito completa!
    Beijos
    Tão doce e tão amarga.



    ResponderExcluir
  3. Adorei sua resenha Beatriz. O título desse livro chama bastante atenção e eu gostei muito do fato de não ser um romance, mas sim uma história de amizade.
    E estive pensando que talvez o autor de auto deprecia e diz que você não vai conseguir ler até o final justamente para que você fique com mais vontade ainda, rs
    Enfim, ótima resenha.

    Tem Meu Tamanho

    ResponderExcluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo