domingo, 31 de maio de 2015

Quando você encontra textos antigos


Esses dias estava procurando nas pastas do computador um arquivo qualquer, eis que encontro "textos", e lá se foi grande parte do meu dia, lendo e lendo. É engraçado ler coisas escritas anos atrás, ver como a mente mudou, os pensamentos são outros. Os textos escritos em momentos de raiva, outros com declarações de amor, textos apaixonados. Algumas histórias, até. Histórias que comecei e nunca continuei, mas deixei ali, registrado.
Os erros gramaticais aparecem as vezes, palavras que seriam melhor colocadas, algumas mudanças aqui ou ali. Mas não mudei nada, sou contra isso. Quero deixar tudo como estava, com o sentimento ali, registrado. Porque posso não ter assinado nada, mas a tinta do sentimento respingou por todo o teclado.
Quando me perguntam de inspiração, ela vem nas horas mais inoportunas. Então começo a escrever e simplesmente não paro. Também tem o momento do bloqueio criativo, em que nada do que está escrito parece bom. Mas acho que no fim tudo é válido, até mesmo um conjunto de teclas apertado aleatoriamente num momento de raiva.
E é assim que funciona. Crescemos. Mudamos. Amadurecemos. Isso é possível de ser observado em fotos.
Mas também em textos. 
Aqui vai um desses que escrevi ainda no computador antigo.

Garota de vidro. 
Toc. Toc. Quem é você? Você não pode me tocar. Quem é você? Você não pode me tocar. Quem é você? Coloque a mão no coração. Coloque a mão no seu coração. Quem é você? Coloque a mão no seu coração. Porque? Bate? Porque? Bate? Quem é você? Bate? 4 vezes por segundo. Bate? Bate. Forte? Quem é você? Você não pode me tocar. Me diz quem é você. Eu sou você. Quem é você? Quem é você? O reflexo. Meu reflexo? Seu reflexo. Quem é você? Você. Seu coração bate? Bate. 6 vezes por segundo. Forte? Forte. Rápido? Rápido. Quem é você? Você não pode me tocar. Feche os olhos. Pra que? Feche os olhos. Bate? Bate. Quem é você? Sua imaginação. Abra os olhos. Porque ainda está aí? A fantasia pode ser real. Quem é você? Eu sou você. Reflexo. Seu reflexo. Bate? Bate. Feche os olhos. 2 vezes por segundo. Lento? Lento. Quem é você? Sua melhor amiga. Você não pode me tocar. Recolha suas mãos. Quem é você. Quem é você? Quem é você? Garota de vidro.

2 comentários:

  1. Olá!

    Que show, amei teu blog, amei tuas postagens, amei teu texto.
    O Toc, o bate, o reflexo, imaginação... garota de vidro.
    Eu amo textos grandes curtos hehe, eles são demais dizendo muito mas estão ali, com poucas palavras (=
    Eu tenho histórias terminadas, mas não aprovo e tenho medo de que as pessoas também não, então vou ter que dar repaginada aqui, outra ali...

    Beijos flor.
    Ah! Participe do book tour, ia adorar: http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/2015/05/inscricao-para-book-tour-do-livro.html

    ResponderExcluir
  2. É muito bom ler isso, me da todo o animo que eu preciso! Fiquei feliz demais!
    Também amo textos assim, que não fazem muito sentido. Quer dizer, fazem, na cabeça de cada um.
    Comece outras, reescreva essas histórias, guarde de recordação. Tudo é válido quando tem sentimento!!
    Beijos <3

    ResponderExcluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo