sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Sobre Grey´s anatomy: Episódios 23 e 24 - Temporada 6

ATENÇÃO: SPOILERS

Fiquei bastante chocada com os episódios 23 e 24 da sexta temporada de Grey's anatomy, com certeza foi um ep. bastante agonizante e também me fez refletir sobre algumas coisas. Decidi compartilhar o que senti vendo esse episódio, minha opinião e etc. É o primeiro post que faço falando de algum episódio de série, então espero que fique bom... Enfim, vamos lá:

Costumo ler a sinopse dos próximos episódios de Grey's anatomy, então geralmente eu fico sabendo o que vai acontecer, mas dessa vez eu tinha olhado já fazia um tempo, sabia que o tiroteio aconteceria mas não fazia a miníma ideia de que tudo começaria no episódio 23. 
Quando Mr. Clark entrou no hospital nem lembrava quem era ele, não sabia porque ele estava procurando o atual chefe - Derek - e tudo estava completamente normal. Até Reed não responder a pergunta do atirador e ele disparar a primeira bala e mata-la. Sim!! Aí eu já dei um pulo no sofá! Mas nem deu tempo de ficar chocada porque o próximo a levar o tiro foi o meu  Alex! Foi aí que tudo começou! Fiquei extremamente agonizada com o Alex se arrastando para o elevador na tentativa de avisar alguém enquanto o atirador estava a solta no hospital.


Descobrimos depois o motivo de tudo isso. A esposa de Mr. Clark estava bem doente e em coma cerebral, tinha assinado um termo para que desligassem as máquinas e deixassem que ela fosse embora, mas o marido nunca aceitou isso. Mesmo assim, Derek ordenou que desligassem as máquinas, Lexie o fez e Dr. Webber era o atendente do caso. Por isso, Mr. Clark volta buscando a "justiça" e causa esse grande caos. Depois, em um dialogo com Dr. Webber - e que dialogo! - ele diz que seu plano era se matar depois de tudo, queria matar Webber mas só havia uma bala restante. Esse dialogo é genial e mexeu muito com a minha cabeça!


Todo esse motivo me levou a pensar em "A lista negra" e refletir sobre a mente dessas pessoas, entender isso é bem interessante, a ideia de justiça que eles tem, acreditando realmente que aquilo o que estão fazendo é para um bem e não para o mal. Me fez refletir sobre a que ponto a mente humana perturbada pode chegar. O que um trauma pode fazer. Nem o próprio atirador imaginou as proporções que aquilo poderia tomar.

"Não doí mais. A dor foi embora. Isso é ruim, não é?!"

Várias cenas me deixaram bem aflitas e com sentimento de impotência. Preciso citar a cena da Dr. Bailey e o Dr. Percy. Miranda estava junto com ele atendendo uma paciente, quando o atirador entra na sala. Dr. Percy se esconde no banheiro e Miranda fica em baixo da cama. A paciente finge estar morta - o que acaba deixando  Mr. Clark com ainda mais raiva. O atirador entra no banheiro e pergunta para Percy se ele é cirurgião, ele diz que sim e automaticamente leva um tiro. Juro que aquele estrondo continuou ecoando no meu ouvido. Nada descreve aquela cena, o sentimento que me trouxe ao ver Dr. Percy caído no chão enquanto Dr. Bailey segurava o choro mas era arrastada pela perna e dizia ser enfermeira. Depois, Bailey e a garota paciente tentam salvar Dr. Percy, isso me deixou tão aflita, tão chocada. Tive vontade de gritar quando tudo foi em vão. Os elevadores não estavam funcionando e não teria como salva-lo. É aí que Miranda se vira e grita, chora, depois se volta para a garota, senta a seu lado. E ali ficam as duas. Bailey com ele no colo, sem abandona-lo, enquanto ele espera sua morte.


Outra cena chocante é quando Mr. Clark encontra Derek e o confronta, diz todos os seus motivos e Derek explica tudo novamente, fala que o entende, outro diálogo excepcional do episódio - tudo isso com uma arma apontada pra si. Aí April entra sem saber de nada e acontece que Derek é atingido. 
Depois de tudo isso, quando Cristina está tentando salvar Derek e Meredith está em crise, o atirador entra na sala de operação e coloca a arma na cabeça de Yang, ameaçando disparar caso ela não pare de salvar Sheperd. Nisso, Hunt acaba levando um tiro e Meredith corre pra salva-lo, é quando ela tem um aborto espontâneo, além de tudo!

"A vida é feita de escolhas. Sim ou não. Pra cima em pra baixo. E depois tem as escolhas que realmente importam. Amor ou Ódio. Ser um herói ou um covarde. Lutar ou se deixar levar. Viver. Ou morrer. Vivar ou morrer. Essa é a escolha mais importante e não está sempre em nossas mãos."

E tem muito mais, muito mais mesmo! Quando o atirador vai para a pediatria e Arizona e Callie entram em desespero, quando ele encontra Lexie no corredor - ela acaba indo parar até em uma clinica, por causa do trauma. Em todos, aquele dia ficou marcado. É uma cicatriz na alma de todos os que sobreviveram ao grande tiroteio.
Não tenho palavras para descrever esse episódio, com certeza foram algumas das cenas mais chocantes que já vi na vida. Estrondos que ficaram na minha cabeça. Frases e dialogos que sei que vão me acompanhar por muito tempo. Me fez refletir tanto e pensar tanto sobre a sociedade, a vida, tudo. Mesmo com esse texto enorme é impossível descrever. Mesmo que você não assista Grey's anatomy e não saiba do que eu estou falando, vale a pena assistir pelo menos esses dois episódios.

PS: Realmente espero que não tenha ficado confuso e entendam a mensagem que quis passar pra vocês. Prometo que os próximos posts sobre séries serão mais organizados!

Um comentário:

  1. Nossa, chorei tanto nesses episódios. Só de me lembrar, tenho vontade de chorar.
    Foi, sem dúvidas, um dos episódios mais 'fortes' dessa série e esses diálogos do Derek e do Webber foram fantásticos mesmo, muito bem articulados. No geral, foram cenas muito bem feitas.
    Fiquei com vontade de ver esses episódios de novo hahaha

    Beijos
    Colecionando Primaveras
    Fan page

    ResponderExcluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo