sábado, 9 de agosto de 2014

Resenha: Métrica - Colleen Hoover


Métrica - Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 304
Ano: 2013
ISBN: 9788501401861
"O romance de estreia de Colleen Hoover, autora que viria a figurar na lista de best sellers do New York Times, apresenta uma família devastada por uma morte repentina.
Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor."


Com a morte repentina de seu pai, Layken é obrigada a sair do Texas e mudar-se para o Michigan, na cidade de Ypsilanti, com sua mãe e seu irmão mais novo, Kel. Lake tem que ser o ponto forte da família, então passa a ideia de que está tudo bem, enquanto por dentro está quase sem forças. O que ela não sabia é que o destino prepara surpresas e com ela não foi diferente. Assim que Lake chega em Michigan, conhece Will Cooper e seu irmão - da mesma idade de Kel - Caulder. Os meninos se tornam grandes amigos e Lake começa um romance com Will - que está sozinho, é a unica pessoa que seu irmão possui. Mas o destino adora brincar e não demora mais que uma noite de romance para que algo estrague tudo e se torne a ponte entre os sentimentos de ambos.
"Layken - grita ele, quando estou prestes a entrar em casa (...) - que a força esteja com você! - ele ri e entra no carro enquanto eu fico parada, olhando para as pantufas do Darth Vader que ainda estão nos meus pés. Maravilha."
Alias, o romance todo inicia de vez, quando Will leva Lake para uma competição de slam - esse é um motivo pelo qual o slam é tão importante.
No slam, as pessoas sobem ao palco para recitar suas poesias com seus sentimentos mais profundos - que, pelo menos no livro, não apresentam muita métrica. Definitivamente amei isso! Os poemas mostram os sentimentos sem se preocupar com o modelo. Posso dizer que, com certeza, a presença do slam foi um dos maiores motivos pelo qual comprei esse livro, é por ele também que Métrica se diferencia de todos os romances conhecidos por aí.
" - As pessoas sobem lá e colocam o coração pra fora usando apenas as próprias palavras e os movimentos do corpo - diz ele - É incrível. Você não vai escutar nada de Dickinson nem de Frost aqui."
Ao ler a sinopse, talvez você pense "Nossa, mais um romance meloso", na verdade, é isso que penso da maioria dos romances e por isso o gênero está por ultimo na lista - só perde pra chick-lit. O único romance que li antes desse foi Belo Desastre que amei, alias! Mas tive um certo preconceito com Métrica que foi derrubado assim que virei a primeira página.
"(...) Elas não querem pensar que a vida vai continuar sem elas, que os filhos vão crescer do mesmo jeito. E vão casar. E vão envelhecer(...)"
O livro tem um pouco de tudo: romance, drama, comédia. É aquele livro pra rir e pra chorar na mesma página. Chorar de tanto rir, rir de tanto chorar. Ficar emocionado. Roer todas as unhas. Ficar irritada com os personagens (eu fiquei e muito). Mas é um livro maravilhoso, a história da Lake é emocionante e de Will também, mesmo conhecendo menos. O único problema é que as vezes a ponte parecia facilmente destrutível, mas acho que como a história acontece nos EUA, lá não seria bem assim. então no fim das contas esse incomodo acabou passando.
"Não levem a vida tão a serio. Deem um murro bem na cara dela quando ela estiver precisando de uma boa surra."
Li o livro quase que em um inteiro escuro e isso foi uma surpresa, pois pude me surpreender com cada página do livro. Os personagens secundários também são maravilhosos, com foco na Eddie, que, senhor, acho que ela é a melhor personagem secundária ever. Tem uma cena em particular no livro (que não posso contar) que me fez rir horrores, nunca ri tanto com um livro. Muito, muito bom!
Outro fator que gosto bastante é o fato de Métrica se encaixar na realidade, principalmente em relação aos sentimentos de Lake quanto a tudo que está acontecendo e um segredo que será revelado mais para o final do livro. Quem nunca preferiu continuar esculpindo abóboras a enfrentar os problemas? 
"— Você se importa se hoje a gente ficar apenas esculpindo abóboras? Tem problema se a gente não fizer nada além disso? Só esculpir abóboras? Ela sorri e volta a atenção para a abóbora à sua frente. — Claro. Mas não podemos esculpir abóboras todas as noites, Lake. Vai chegar um momento em que a gente vai precisar parar de esculpi-las."
Ah, antes que eu esqueça, todo capítulo do livro tem início com um trecho de música da banda The Avett Brothers - a banda preferida de ambos - fiquei extremamente apaixonada pelas músicas - que acabaram virando a trilha sonora da minha leitura.

Acredito que Métrica merece cinco estrelas por nos provocar vários sentimentos, sair do romance clichê, trazer algo inovador e ainda por cima, nos fazer refletir - e amar slam. Esse é um livro que fico virando as páginas e relendo algumas partes por ser simplesmente incrível. 

2 comentários:

  1. Eu quero tanto esse livro! Acho a capa linda, a sinopse maravilhosa e a sua resenha me deixou morrendo de vontade de comprar ele, tipo, amanhã! Espero poder lê-lo em breve.
    Beijos!
    vicioliteral.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Ouvi comentários bem positivos a respeito desse livro recentemente, e adorei a sua resenha! Esse detalhe de ter trechos de música no início de capítulo pode ser sutil, mas dá uma diferença, e até mesmo curiosidade a mais pra história!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha de "Atormentada", vem conferir!

    ResponderExcluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo