quarta-feira, 2 de julho de 2014

Resenha: Por isso a gente acabou - Daniel Handler

Por isso a gente acabou - Daniel Handler (Ilustrações Maira Kalman)
Editora: Companhia das letas
Páginas: 368
Ano: 2012
"Por isso a gente acabou trata, com a comicidade típica do autor, de uma situação difícil pela qual todos um dia irão passar: o fim de uma relação amorosa e toda a angústia, tristeza e incerteza que essa vivência pode gerar. Min Green e Ed Slarteron estudam na mesma escola e, depois de apenas algumas semanas de convívio intenso e apaixonado, acabam o namoro. Depois de sofrer muito, Min resolve, como marco da ruptura definitiva, entregar ao garoto uma caixa repleta de objetos significativos para o casal junto com uma carta falando sobre cada um desses objetos e do episódio que ele representou, sempre acrescentando, ao final, uma nova razão para o rompimento. Essa carta é o texto de Por isso a gente acabou, que é, assim, carregado de um tom informal e tragicômico - características da personagem - e traduz com um misto de simplicidade e profundidade a história de uma separação. Imerso neste universo adolescente, o leitor conhecerá a divertida personalidade de Min, uma garota apaixonada por filmes cujo sonho é ser diretora de cinema, e as idas e vindas deste romance, desde o dia em que os dois conversaram pela primeira vez até o instante em que tudo acabou. A artista Maira Kalman, autora de diversas capas da revista The New Yorker, ilustrou cada um dos objetos da narrativa, trazendo cor e descontração a esta história dolorida."

A expectativa era alta quando fiquei sabendo de Por isso a gente acabou, estava com bastante expectativas quando livro chegou aqui em casa, mas conforme fui lendo a animação foi diminuindo. Não diria que foi uma decepção, porque o livro realmente é bom, mas acho que poderia ter sido melhor trabalhado.
O livro inteiro na verdade é uma carta de Min Green para Ed, seu atual ex-namorado, nesta carta a garota conta a história de ambos, desde o início até o término da relação. Contando, basicamente, o porque dos dois não terem dado certo, que ela entregará para Ed junto com uma caixa com todas as lembranças.

"Estou contando porque a gente acabou, Ed. Estou escrevendo, nesta carta, toda a verdade sobre o que aconteceu. E a verdade é que, porra, eu te amei demais."

Min e Ed são muito diferentes, todos acham que aquela união é muito estranha, e, como percebemos ao longo do livro, nem todos os opostos se atraem. 
Minerva, por amar filmes antigos, constantemente compara as coisas com eles, o que é muito chato e cansativo. Ok, a ideia é bem legal, concordo, mas ela não passa uma página sem fazer alguma relação com esses filmes, isso me irritou bastante.
Ed é o típico atleta da escola, é cocapitão do time de basquete e gosta de coisas muito diferentes de Min. Sinceramente? Não gostei muito de Ed, achei ele meio "ta, e dái?!", acho que ficou faltando um pouco de substância.
O casal também diz "eu te amo" muito rápido e isso me irritou bastante, porque era perceptível que não era verdade, diziam isso para se desculpar na maior parte das vezes, como brigamos, mas vou dizer "eu te amo" pra mudar de assunto e ficar "tudo bem".
A relação dos dois não dura muito e é bem intensa, o típico "vocês estão indo rápido demais".

"Você saber, Ed, que soco no estômago é a minha própria mãe agora estar com a razão? Eu devo ter gritado alguma coisa e ela deve ter gritado também e voltou batendo o pé, acho que foi, pra dentro de casa. Mas só lembro da música diminuindo, o volume baixo de vingança, para não ser mais a trilha sonora do dia."

Gostei bastante do Al, melhor-amigo de Min, que nutria uma paixão por ela (isso não é spoiler porque é completamente deduzível), ele estava lá para ela a todo momento, inclusive é ele quem leva Min no caminhão para devolver a caixa com os objetos que significaram algo no relacionamento dos dois para Ed.
O ponto forte do livro com certeza são as ilustrações desses objetos seguidos do texto explicando o motivo de eles estarem ali, gostei bastante disso.
 Como disse, a ideia do autor é bem interessante, mas o livro muitas vezes se tornou maçante. Gostei sim do livro, principalmente de alguns trechos e determinadas cenas, minha parte preferida é o final, o que ela diz na carta depois de contar sobre o término. Gosto também de certas relações que ela faz, como que eles são a escolha errada do elenco para o filme. 
Por mais que isso tenha me irritado, gostaria de assistir vários dos filmes que foram citados, porém eles são fictícios.

"Você sabe que eu quero ser diretora, mas você nunca viu de verdade os filmes da minha cabeça e foi por isso, Ed, que a gente acabou."

Por isso a gente acabou é um livro bom, mas que poderia ser melhor desenvolvido, com menos repetições. O livro é bom, porém é meio lento e arrastado. O que é triste, pois tinha bastante expectativa em relação a ele. Em uma escala de uma a cinco estrelas, eu daria três. 
PS: Daniel Handler é Lemony Snicket, que escreveu Desventuras em série.

5 comentários:

  1. Eu amo esse livro. Acho que por deixar tão claro como é uma paixão adolescente: rápida, intensa e que, muita das vezes, acaba logo. Deve ser por isso que você não gostou. Mas enfim, Daniel Handler é um escritor de mão cheia, não?

    Abraços ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que foi exatamente por isso que não gostei tanto, mas com certeza o autor é um escritor de mão cheia!
      Beijos,
      Bia

      Excluir
  2. Nunca tinha ouvido falar desse livro. Essa ideia da protagonista comparar as coisas com filmes antigos até poderia ser interessante, mas é ruim quando há muita repetição, pois a gente cansa mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Nunca havia visto esse livros.
    Talvez eu leia futuramente ^^
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Estava curiosa sobre este livro.
    Talvez eu o leia ainda este ano.
    Beijos
    http://livros-infinitos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo