quarta-feira, 9 de julho de 2014

Resenha: Cartas de amor aos mortos - Ava Dellaira

Cartas de amor aos mortos - Ava Dellaira 
Editora: Seguinte
Páginas: 331
Ano: 2014
ISBN:  9788565765411
PS: Talvez contenha spoilers (eu realmente não sei, mas precisava falar de tudo o que falei)
"Prestes a começar o ensino médio, Laurel decide mudar de escola para não ter que encarar as pessoas comentando sobre a morte de sua irmã mais velha, May. A rotina no novo colégio não está fácil, e, para completar, a professora de inglês passa uma tarefa nada usual: escrever uma carta para alguém que já morreu. Laurel começa a escrever em seu caderno várias mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Elizabeth Bishop… sem nunca entregá-las à professora.
Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky.
Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era - encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um - é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho."

Laurel recebe uma tarefa de inglês bem diferente: escrever uma carta para alguém que está morto e depois entrega-la. A garota escreve sua primeira carta para Kurt Cobain, mas não a entrega. Depois passa a escrever para vários, como Amy Winehouse, Janis Joplin, etc. Acho interessante que eles não estão como destinatários a toa, mas estão lá porque de certa forma fizeram parte da vida de Laurel.

Laurel perdeu a irmã May há um pouco menos de um ano e se sente extremamente culpada, além da magoa e raiva que sente por ela ter a deixado, se culpando por sentir isso também. Laurel e May estudavam no colégio Sandia, mas depois do que aconteceu, Laurel se muda para o West Mesa, longe de todo aquele passado. Durante as primeiras semanas de aula, a garota está completamente sozinha e pensa muito na irmã, depois começa a fazer amigos, conhece Hannah, Natalie, Kristen, Tristan e Sky, o cara pelo qual ela se apaixona, mas que também é cheio de segredos.
Laurel agora vive vários momentos com seus amigos, é apresentada ao mundo das bebidas, das drogas e tem que aprender a lidar com a morte de sua irmã, sua mãe que continua na Califórnia, sua tia Amy - super adoradora de Jesus - e seu pai. A cada semana, ela fica na casa de sua tia ou de seu pai, sempre alternando.

"Somos todos estranhos de um jeito diferente - e isso é normal."

Adoro a maneira como a morte de May é abordada no livro, vemos que no ínicio, Laurel acredita que sua irmã tivesse sido o modelo perfeito e quer ser como ela. A garota sabe que sua irmã tinha comportamentos estranhos, mas como estava se distanciando, preferia ignorar só pra poder passar o único tempo que restava com ela. Conforme o livro passa - eu achei essa colocação incrível, de modo que é assim mesmo que acontece - a protagonista percebe que as vezes as pessoas fazem essas coisas porque no fundo elas estão destruídas e precisam de algo no qual se apoiar. 
Em um trecho, é dito por Natalie que "Você sabe que entende a pessoa, porque a enxerga de verdade. E então você tenta se aproximar, e ela.. desaparece. Você achava que pertenciam uma á outra. Achava que ela era sua, mas não é. Você quer protegê-la, mas não pode"
Grande parte do livro é baseada nessa única citação, definindo a relação das irmãs e de Natalie e Hannah, que são apaixonadas, mas uma das amigas não quer assumir. Outra coisa também é que não da pra salvar todo mundo - isso é mencionado por Tristan também - que somente a própria pessoa pode salvar ela mesma. Isso ficou na minha cabeça.

Acho lindo a maneira como Sky e Laurel se relacionam e como ele diz pra ela finalmente que não aguenta mais ficar com ela por que se sentia impotente, porque as vezes ela começava a chorar por causa da irmã e ele simplesmente não sabia o que fazer.  No início, Laurel diz que é a luz para Sky, mas as vezes ele é a luz dela, no fim, ambos percebem que possuem uma luz e juntos, ela é mais forte.

"Ele segurou meu rosto com as duas mãos, e foi um beijo diferente de todos os outros. Eu não me senti mais como uma luz para a qual ele estava atraído, como a luz de um poste nem como a lua. Parecia que nós dois tínhamos o sol dentro de nós. Nossa própria maneira de nos manter aquecidos. E quando nossos corpos se juntaram foi a coisa mais intensa que já senti."

Gosto particularmente o modo como a homossexualidade de Hannah e Natalie é tratada, principalmente como Hannah se esconde por trás da máscara de que "fica com todos os garotos" e trata como mentira o que é real. (entendedores entenderão)

"Hannah olhou pra ela tentando entender o que significa ter alguém que te ama tantos."

Tem um diálogo em particular no livro que me marcou muito e gostaria de compartilhar com vocês. Logo após a leitura de um poema da Elizabeth Bishop.

"Mesmo perder você (a voz, o ar etéreo que eu amo) não muda nada. Pois é evidente que a arte de perder não chega a ser mistério por muito que pareça (Escreve!) muito sério."


É simplesmente extraordinária a passagem inteira do livro, nos dizendo coisas que realmente ficam marcadas para sempre, principalmente em relação á música, ela diz em uma das cartas para uma das personalidades que a música implodia dentro dessa personalidade. Em várias cartas ela cita a morte, o suicídio e realmente entendo a protagonista ao dizer que Kurt abandonou a filha, que ele estaria feliz mas o primeiro a machucar a filha na verdade foi ele, acho que depois ela se arrependeu do que disse, pois pede desculpas. Amo isso, amo muito mesmo, acho incrível a maneira como Laurel vai amadurecendo aos poucos e percebendo que deve ser ela mesma, que ela não tinha como salvar a irmã, na verdade, ela não era culpada e que ia guardar sim os momentos bons e suas asas de fada.

"Mas eu me perdoei. E perdoei você. May, eu amo você com tudo o que eu sou. Por muito tempo, eu só queria ser como você. Mas precisava descobrir que também sou alguém, e agora posso levar você, seu coração com o meu, aonde quer que eu vá."

Um livro excecional, tratando de vários assuntos polêmicos, ídolos da arte que até hoje servem de inspiração e estão imortalizados - assim como May para Laurel -  e mostrando como Laurel supera tudo isso e pode finalmente, ser feliz.

12 comentários:

  1. Oi Bia! Menina que resenha é essa? Te juro que eu queria ler mais e mais, mas agora só lendo o livro, né? Com certeza, eu vou le-lo, como não leria? Você conveceu seu leitor que esse livro é ótimo e que o leitor precisa ler também. Parabéns pelas palavras, pela emoção ao escrever sobre o livro, e obrigada pelo gostinho do livro que você disponiblizou para a gente nesses trechos haha. Beijos :*
    http://apenasumaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marii, muito muito obrigada! O livro é maravilhoso, acho que deveria ser lido por todas as pessoas do mundo!!
      Muito obrigada,
      Beijos!

      Excluir
  2. adorei, esse livro deve ser realmente muito bom, vou procurar *-*

    http://encantodabagunca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É incrível, extraordinário! Procura sim!!
      Beijos,
      Bia
      http://vivendonoinfinito.blogspot.com.br/

      Excluir
  3. Adorei a sua resenha, retrata bem tudo o que você sentiu ao ler essa história que aparenta ser magnífica! Já tinha bastante curiosidade em ler esse livro, e agora então, acho que irei arriscar mesmo :)

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente, obrigada!
      Arrisque sim, com certeza é um livro que você não irá se arrepender de ter lido!
      Beijos,
      Bia

      Excluir
  4. Olá.
    Tenho visto sobre este livro em vários lugares. Ainda não formei uma opinião a respeito. Porém gostei da sua resenha.
    www.bookspelagi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gi! Muito obrigada! Eu acho que você deveria dar uma chance para o livro sim, viu?!
      Beijos,
      Bia

      Excluir
  5. Olá,
    Nos últimos dois dias eu só tenho ouvido falar deste livro!
    Em todos os lugares!
    Quero logo ler, acho que vou adorar! *--*
    Bjoss


    http://www.fotografiaeleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia!! Fiquei esperando feito louca e assim que chegou já comecei a ler *O*
      Beijos,
      Bia

      Excluir
  6. Meu Deus! Quero esse livro agora! Me apaixonei pela premissa e adorei o modo como escreveu essa resenha, me convenceu bastante, parabéns. Já marquei como desejado.
    O livro parece ser muito bom, e a história foi muito bem bolada, espero não me decepcionar com a leitura.
    Abraços!

    Beatriz Belo
    http://hey-bookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A premissa é maravilhosa e foi muito bem trabalhada, minha preocupação era que os nomes fossem usados apenas como base, fossem apenas "enfeite", entende o que eu quero dizer?! Mas fiquei ainda mais maravilhada de ver que eles eram trabalhados na carta e cada uma delas tinha realmente um motivo que se ligada a personalidade.
      Leia sim!
      Beijos,
      Bia

      Excluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo