terça-feira, 8 de julho de 2014

Resenha: Bela maldade - Rebecca James


Bela Maldade - Rebecca James
Editora: Intrínseca
Páginas: 302
Ano: 2011
ISBN: 9788580570816
"Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato. Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade. No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel. Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada..."

Bela Maldade é narrado por Katherine Patterson/Katie Boydell. Após a morte de sua irmã, um acontecimento que transtornou a família toda, a garota decide se mudar e morar com a tia Vivien, nessa nova cidade ela se torna uma garota fechada, torna-se Katherine e esconde Katie. Mas acaba conhecendo Alice, sua "melhor-amiga", extremamente manipuladora e perversa, Alice sempre consegue o que quer. 
Achei o inicio do livro muito rápido e distante da realidade, achei Katherine ingênua demais para alguém que teve um passado perturbado, logo Alice e Katherine se tornam super melhores amigas. Com Alice, a protagonista esquece um pouco seu passado e se sente amada, desejada.

“Talvez. Talvez isso explique algumas coisas. Mas não a absolve completamente. Não a meus olhos. Outras pessoas crescem em circunstâncias ainda piores e se tornam seres humanos decentes.”

Ao longo do tempo que passam juntas, Alice apresenta Robbie - meu personagem preferido no livro todo - e os três passam muito tempo juntos, mas é em um certo jantar, quando Katherine conhece Philippa - essa sim é uma amiga de verdade - que a garota passa a conhecer um outro lado de Alice. Então a mascará cai e Katherine percebe o quão perversa Alice é e que a amizade de ambas foi extremamente planejada.
Alice é a perfeita garota que tem todo mundo aos seus pés, aquela que consegue tudo o que quer com seu "jeitinho", ela me lembra um pouco a Alison, de Pretty Little Liars. Gosto dessa personagem, não pelo seu jeito de ser, porque fiquei com muita raiva dela ao longo do livro, mas por ser interessante em relação ao enredo.

“Só consigo olhar para os olhos de Alice. Eles são frios, avaliadores, e as pupilas, tão dilatadas, que tudo o que posso ver é escuridão. Dura e inflexível. Profunda. Implacável. Ali, só há trevas.”

Achei a protagonista meio sem-sal, superficial, não sei explicar, de certa forma pareceu que ela só estava lá para preencher o papel. Claro que gostei de várias atitudes da personagem e sim, me identifiquei bastante com a história em si, mas não teve nenhum destaque.
Na minha opinião, os melhores personagens do livro são os secundários, Philippa e Robbie. 
Acredito que muitos se identificam com o enredo, talvez tenha sido isso que me fez sair correndo para compra-lo. Estava extremamente ansiosa por esse livro e surtei quando chegou. 
Bela Maldade é um livro realmente muito bom, principalmente por sua essência. Os personagens são comuns, pessoas que você encontraria no seu dia a dia, talvez a ideia tenha sido essa mesma, já que muitas Alices estão espalhadas por aí, principalmente. Achei a história um pouco rápida demais, mas se tivesse sido mais lenta, talvez não tivesse sido tão boa, certo?! 

“– … Eu estaria em melhor situação se amasse uma pedra.
Rio.
– Pelo menos você não teria esperado nada de uma pedra. Ela não poderia decepcionar você.”

Um ponto muito alto do livro - além da capa e do título que são incríveis - é a alternância de passado, presente e futuro - se considerarmos presente a época em que Katherine se torna amiga de Alice - sem nenhuma indicação aparente. Isso torna o livro muito mais interessante e misterioso. Devorei a história toda em um dia.
Eu diria que o livro cumpriu todas as minhas expectativas, mas não foi muito além. Ainda assim, com certeza está na minha lista de recomendados.
“Você não deve nunca, nunca, se sentir culpada por ser feliz.”



4 comentários:

  1. Menina, eu também achei a Katherine muito sem sal, muito sem açúcar para um passado perturbado. Alice de fato me irritou mas de fato eu consegui entender porque Kate gostou dela. No geral, como foi uma surpresa da bienal, até que gostei :D
    É bem interessante a história, e bem real de poder acontecer né?
    Adorei sua resenha, ficou muito parecida com o que de fato senti ao ler hehe
    Um beijo!
    Pâm - www.interruptedreamer.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi uma surpresa da bienal? Não sabia disso!!
      Sim, já conheci váarias Alices na minha vida, elas estão por aí..
      Obrigada e um beijão!!

      Excluir
  2. Sempre tive vontade de ler a história, sério que a protagonista é sem-sal?
    Odeio me irritar com protagonistas, mas é bom sofrer com livro, dá um gostinho de emoção. Mas ainda estou ansiosa para ler esse livro.
    Abraços!

    Beatriz Belo
    http://hey-bookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achei a protagonista sem-sal, meio superficial, sabe? Pro passado que ela teve, acho que deveria ter sido mais trabalhada, no fim das contas, vi a Katherine como uma personagem secundária.
      Mas leia o livro, acho que vai gostar mesmo com esse fator negativo!
      Beijos,
      Bia

      Excluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo