quinta-feira, 19 de maio de 2016

Faking it e rótulos


O oitavo episódio da terceira temporada de faking it tratou de um assunto muito interessante e que deve ser cada vez mais explorados: rótulos. Antes de começar a refletir, vou deixar vocês um pouco mais situados do que aconteceu nesse momento. 
Um feriado religioso seria decretado e os alunos ficariam sem aula. Porém, algumas pessoas acabaram achando que seria desrespeitoso para aqueles que não seguiam essa religião. Então, a diretora propôs junto a dois alunos que todos se rotulassem para que definissem a sua personalidade e assim não houvesse mais problemas. No final, uma das protagonistas, Amy, é praticamente forçada a se rotular. A solução? Ela cola todos os adesivos no corpo. Ela é uma mistura de tudo ao mesmo tempo e não quer ser rotulada, não quer ser definida.
Agora, vamos esquecer um pouco o episódio e pensar na sociedade atual. Vivemos em um mundo repleto de rótulos e cada vez mais as pessoas são consideradas objetos. Elas são caracterizadas por essas etiquetas. Ninguém mais olha para o outro de fato, digo, lá no fundo, interiormente. Poucos tentam entender o outro sem primeiro olhar para os adesivos que ele contém. Aqueles que ainda não descobriram muitas coisas de sua personalidade, sentem-se forçados a se definir e quando não conseguem ficam desesperados e se sentem uma aberração. Se você é uma dessas pessoas, eu te digo: o nó que se formou na sua cabeça é saudável. Cuide desse nó e deixe ele aí.
Isso tem que acabar. Para explicar um pouco do que penso, vou usar um exemplo mais conhecido e citado, mas isso não significa que isso não deve ocorrer com outras coisas. Vamos falar de sexualidade. Primeiro deve-se partir do ponto que todos somos pessoas. Pessoas com sentimentos, medos, defeitos, qualidades e diversas características que estão em constante mudança. E creio eu que não se deve gostar da pessoa pelo seu gênero, mas pelo que ela é. 
O maior exemplo disso é a comunidade bissexual. Os bissexuais não estão confusos e não necessariamente preferem um lado ao outro. São pessoas que gostam de pessoas. E elas não precisam escolher. Ninguém precisa escolher. Heterossexual. Homossexual. Bissexual. Isso não importa. No final, somos todos diferentes p-e-s-s-o-a-s.
Ninguém deve ser definido por sua religião, cor da pele, opção sexual, etnia ou até gostos musicais. Talvez meu maior sonho social seja que a sociedade um dia acorde e perceba que as pessoas não são feitas de rótulos, elas são feitas do que elas são. E isso sim deve ser levado em conta. Arranque todos os nomes que estão adesivados em seu corpo e apenas se jogue na vida. Se joga!

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Sobre como a vida é louca e eu uma pessoa desorganizada

Estou quase terminando o primeiro semestre da faculdade e ainda não consegui me acostumar muito bem com essa rotina louca. Sinto que grande parte da minha vida é perdida no ônibus de volta pra casa - embora eu venha escrevendo alguns pequenos textos. Quando chego em casa, tudo o que consigo fazer é o quiz atrasado de economia e case de marketing. Depois? Cama. 
Confesso que, devido a essa vida louca, tenho esquecido do blog ou ficado cansada demais para postar aqui ou fazer vídeos. Fiquei sem voz, inclusive, o que não colaborou para o fator de falar em frente a uma câmera. Nesse final de semana, porém, fui ao show da minha ídola e foi maravilhoso, pretendo fazer um post sobre isso. Só não faço agora porque estou sentada na biblioteca da faculdade escrevendo um desabafo que talvez vocês nem queiram ler.
É só que as vezes me sinto cansada demais, solitária demais, mesmo com muita gente ao meu redor. Talvez seja a TPM, talvez seja uma fase ou sei lá. O fato é que não estou conseguindo colocar as coisas na mesa e me organizar como fazia no terceiro ano. Eu estou sentindo falta do colégio, para vocês verem como a situação está grave.
Mas espero eu que um dia irei conseguir montar uma rotina e voltar com tudo com o blog e o canal, por enquanto peço um pouquinho de paciência. Vou continuar publicando aqui, só não com muita frequência. Me sinto mal não trazendo resenhas novas, mas mal tenho tido tempo para ler. Quando tenho, não consigo focar porque minha cabeça está em outro lugar.
Alguém já passou por isso? É complicado. Quem tiver uma dica, tô aceitando!
Acho que é só isso...
Ah não, também tenho uma novidade, é bem provável que, em breve, meu primeiro livro seja publicado! O universo está brincando comigo, mas dessa vez ele me deu um presente! Espero que dê certo!
Vejo vocês em breve <3

domingo, 1 de maio de 2016

TAG: Doenças literárias

Olá, leitores infinitos!
Hoje trago pra vocês um vídeo em que respondo uma tag antiga chamada doenças literárias. São nove doenças e para cada um delas, devo escolher um livro diferentes. Vamos desde diabetes até aquela doença/gripe que você pegou em uma viagem! Ficou curioso?! Olha só o vídeo!
PS: Sei que estou um pouco atrasada, mas só hoje me toquei que ainda não tinha postado no youtube! Pois é!
Aqui estão as perguntas, para quem quiser responder:
  • Diabetes: Um livro muito doce
  • Catapora: 
  • Influenza A: Um livro contagioso.
  • Ciclo Menstrual: Um livro que você lê todo mês e/ou ano.
  • Insônia: Um livro que você virou a noite lendo.
  • Amnésia: Um livro que você leu e não se lembra.
  • Asma: Um livro que te tirou o fôlego.
  • Má Nutrição: Um livro que você esqueceu de comer para ler.
  • Doença de Viagem: Um livro que te lembre/ você relacione com uma viagem.


domingo, 24 de abril de 2016

[NO MUNDO DA MÚSICA] Conheça Bitter's kiss


Chloe Baker deu início ao seu novo projeto: Bitter's kiss. A cantora nasceu em New Jersey e afirma que suas canções são baseadas em suas visões sobre o mundo e experiências. 
Considero seu estilo algo mais puxado para o indie. Dizem que lembra um pouco uma mistura de Lana del rey e Lorde. Eu considero algo único. A música Friday nights conseguiu me tocar de uma maneira que não sei explicar, conheça-a começando por ela.
Vou deixar aqui em baixo alguns clipes para que vocês possam ver:


quarta-feira, 20 de abril de 2016

Confira o trailer de A Garota no trem



Com data de lançamento para 24 de novembro, a adaptação do livro A Garota no trem promete arrancar muitas exclamações do público. Rachel, a protagonista alcoólatra, será interpretada por Emily Blunt. A história basicamente gira em torno das viagens de trem da Rachel onde ela encontra um casal que passa a observar. Porém, é surpreendida quando descobre que a mulher observada está desaparecida.
No vídeo acima resolvi fazer algo diferente e mostrar minha reação assistindo ao trailer pela primeira vez. Como vocês podem perceber só pela arte do vídeo, fiquei bastante em choque. É um filme que promete muito! Estou cheia de expectativas!
E pra você que não quer ver o meu rostinho, vou deixar aqui o vídeo só com o trailer:

segunda-feira, 18 de abril de 2016

[NO MUNDO DA MÚSICA] Sophia Abrahão inciará sua turnê

Cinco anos depois, Sophia realizará um sonho antigo. E enquanto ela canta, nossos olhos se enchem de lágrimas. Lágrimas de tristeza por perder nosso neném que agora, de fato, tornou-se mulher e é fatal. Lágrimas de felicidade por estar ali. Mas principalmente lágrimas de orgulho. Orgulho de quem ela se tornou. Orgulho de tudo o que ela conseguiu realizar. E todos esse sentimentos vão fazer nossas mãos tremerem, as únicas palavras que conseguiremos pronunciar serão as letras da música. E todos os sentimos, juntos e misturados, explodindo pelos olhos. 

Sophia Abrahão iniciará a sua primeira turnê no dia 7 de maio de 2016 às 16h, no teatro APCD. Ele está localizado na Rua Voluntários da Pátria, 547 em Santana. Os ingressos variam de R$50,00 a R$370,00 (sem a taxa online).
Ingresso normal: da direito a entrada no show.
Ingresso meet&greet: da direito a entrada no show e encontro com foto.
CLASSIFICAÇÃO: 14 anos. Menores (até 10 anos) devem entrar com pais ou responsáveis. Aqueles com menos de 10 anos, não poderão entrar, ainda que acompanhados.

COMPRAS
As comprar podem ser realizada pelo site ou pelo telefone (11-2122-4070) de segunda a domingo das 9h às 21h. Ou então pelo app da Compreingressos.com

COMO CHEGAR
Para quem vai de carro, o teatro está localizado próximo ao shopping Center Norte. Para os que vão de transporte público, o local fica há dois minutos a pé do terminal rodoviário do tietê. Se você irá viajar com ônibus de viagem, lembre-se de parar nesse terminal. Se for de metrô, basta descer na estação Portuguesa-Tietê da linha azul.



quarta-feira, 13 de abril de 2016

5 livros que eu estou desejando no momento

Hey, bookaholics!
Depois de passar por uma ressaca literária, sinto que finalmente estou pronta para ler novamente. E após esse longo momento de reflexão, decidi procurar coisas diferentes do que estou acostumada a ler. Alguns seguem o mesmo estilo, outros são livros de autores que preciso ler e ainda não o fiz. Vocês vão saber do que eu estou falando! Vamos a lista?! 


O circo mecânico Tresaulti - Genevive Valentine

"Num mundo pós-apocalíptico, onde as pessoas não tem mais acesso à tecnologias de ponta, uma caravana circense leva esperança por onde passa. Os artistas são sobreviventes de guerra, que tiveram seus corpos mutilados reconstruídos com complexas estruturas mecânicas."

Qualquer um que me conheça e leia a sinopse vai saber que esse livro foi feito para mim. Amo coisas estranhas, psicológicas, meio sombrias. Além disso, sou uma pessoa que sempre entrei em um circo e imaginei histórias de terror psicológico acontecendo ali. Além disso, a imagem do post é a capa do livro edição limitada. Encontrei na livraria da rodoviária e quase dei um grito. O dia que esse livro estiver em minha estante, com certeza irei devorá-lo!






This is where it ends - Mariene Nijkamp

"10:00 a.m.
The principal of Opportunity, Alabama's high school finishes her speech, welcoming the entire student body to a new semester and encouraging them to excel and achieve.
10:02 a.m.
The students get up to leave the auditorium for their next class.
10:03
The auditorium doors won't open.
10:05
Someone starts shooting.
Told over the span of 54 harrowing minutes from four different perspectives, terror reigns as one student's calculated revenge turns into the ultimate game of survival."

Mais uma vez, a sinopse diz tudo. Depois de ler A lista negra, fiquei esperando por um lançamento como esse. Um livro que me fizesse refletir sobre o tiroteio no colégio de alguém que busca vingança. E as vidas perdidas. Depois de ler uma resenha sobre ele, percebi que não é tão reflexivo assim, mas ainda pretendo ler.


Jovens de elite - Marie Lu

"Bestseller do The New York Times com excelente repercussão entre público e crítica, Jovens de Elite é o primeiro de uma série de fantasia ambientada na era medieval e protagonizada por jovens que desenvolvem estranhas cicatrizes e poderes especiais ao sobreviverem a uma febre que dizimou boa parte da humanidade. Entre eles está Adelina, que, após se rebelar contra o destino imposto a ela por seu pai, encontra um novo lar na sociedade secreta Jovens de Elite, vista por alguns como um grupo de heróis, por outros como seres com poderes demoníacos. Heroína ou vilã? Num mundo perigoso no qual magia e política se chocam, Adelina descobre o lado sombrio de seu coração. Da mesma autora da aclamada trilogia Legend, Marie Lu, Jovens de Elite é o início de uma saga arrebatadora. Perfeita para fãs de histórias de fantasia medieval como Game of Thrones, com vilões dignos de Star Wars e X-Men."

Escolhi esse livro para voltar a ler minhas distopias que tanto amo. Parece ser algo um pouco batido, pela sinopse, mas achei bem legal e todos meus amigos que leram dizem que é mesmo. Então, quero ler logo!

Como eu era antes de você - Jojo Moyes

"Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro. Como eu era antes de você é uma história de amor e uma história de família, mas acima de tudo é uma história sobre a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado."

No início, torcia o nariz para esse livro. Com o trailer do filme, decidi dar uma chance e ler esse romance. Sim, é um romance. Sim, é meloso. Sim, Beatriz Nogueira lerá esse livro. Esse entra pra lista de livros diferentes do que costumo ter na estante.

Escuridão total sem estrelas - Stephen King

"Na ausência da luz, o mundo assume formas sombrias, distorcidas, tenebrosas. Em Escuridão total sem estrelas os crimes parecem inevitáveis; as punições, insuportáveis; as cumplicidades, misteriosas. 
Em 1922, o agricultor Wilfred e o filho, Hank, precisam decidir do que é mais fácil abrir mão: das terras da família ou da esposa e mãe. No conto Gigante do volante, após ser estuprada por um estranho e deixada à beira da morte, Tess, uma autora de livros de mistério, elabora uma vingança que vai deixá-la cara a cara com um lado desconhecido de si mesma. Já em Extensão justa, Dave Streeter tem um câncer terminal e faz um pacto com um estranho vendedor. Mas será que para salvar a própria vida vale a pena destruir a de outra pessoa? E, em Um bom casamento, uma caixa na garagem pode dizer mais a Darcy Anderson sobre seu marido do que os vinte anos que eles passaram juntos.
Os personagens dos quatro contos de Stephen King passam por momentos de escuridão total, quando não existe nada bom senso, piedade, justiça ou estrelas para guiá-los. Suas histórias representam o modo como lidamos com o mundo e como o mundo lida conosco. São narrativas fortes e, cada uma a seu modo, profundamente chocantes."

Nunca li nenhum livro do Stephen King. Pois é, também fico chocada quando pronuncio essas palavras. Como esse título me atrai bastante e o livro é feito de vários contos, resolvi começar por esse. Assim, conheço logo de cara várias histórias. Além disso, uma blogueira comentou em seu twitter sobre uma nota do autor maravilhosa presente no livro. Quero muito!
© Vivendo no Infinito - 2014. Todos os direitos reservados. Design: Pâmela Possani